quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Foi como uma faísca. Foi rápido, mas com intensidade suficiente para queimar.
E cá estou eu com uma pequena queimadura, que não arde tanto, mas incomoda. E incomoda pelo fato de saber que me enganei a respeito. Eu estava esperando uma fogueira de chamas fortes. Estava esperando me aquecer mesmo estando distante. Porque eu sou assim. Eu sou grande! Grande de esperanças restauradas, grande de planos, sonhos, desejos. Sou grande pela minha força e pela minha insistência de sempre levantar depois do tombo mesmo sabendo que eu vou continuar caindo até aprender a não confiar tanto em faíscas. 
A queimadura é pequena, mas coisas pequenas são extremamente irritantes.







Nenhum comentário:

Postar um comentário