quarta-feira, 12 de março de 2014

Desamor: Alguém, por favor, devolva meu anjo caído.

Ainda é estranho acordar sabendo que não irei vê-lo. Que não ouvirei aquela voz grossa com um tom aveludado e muito menos que olharei naqueles olhos castanhos de cílios longos.
Ainda é estranho deitar sem um boa noite dele, e acordar sem o "bom dia amor". Ainda é estranho vê-lo dizer que ama outra. Pois pra mim tudo é tão recente.
Parece que foi ontem que nos beijamos pela primeira vez, que meus olhos encontraram os dele e que nos apaixonamos perdidamente um pelo outro. Parece que foi ontem, eu e ele no sofá vendo filme debaixo das cobertas, jogando UNO nas tardes de inverno e resmungando a cada cinco minutos nos dias quente. 
Parece que foi ontem que brigávamos por ciumes tolo e que nos reconciliávamos em segundos só por medo de que alguma coisa ruim pudesse acontecer enquanto estávamos brigados. Parece que foi ontem que eu tinha um medo enorme de perde-lo para sempre, de ficar só, de não tê-lo por perto.
Nunca soube ao certo o que faria da vida se ele fosse embora, e cá estou eu totalmente perdida.
É absurdo pensar que não existe mais "eu e ele". Parece que estou vivendo num universo paralelo onde ele me odeia e nós somos um casal completamente ridículo demais para se tornar real.
Ah, meu Deus, se for isso, por favor, me leve de volta para o mundo onde fui feita na medida certa pra ele e ele pra mim. Pois não vejo a hora de matar a saudade que está me sufocando aos poucos.
Alguém, por favor, devolva meu anjo caído... Devolva agora... Tenho urgência de ama-lo e mais urgência ainda de me livrar desses sentimentos ruins que rondam minha mente enquanto ele está longe.


- Karyne Santiago.


Untitled

Nenhum comentário:

Postar um comentário