quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Eu já pedi muitas coisas de presente de aniversario. Brinquedos, bonecas, roupas, maquiagens, perfumes, viagens, passeios... Tantas aventuras e risos que chega a ser difícil lembrar... Hoje, ao 19 anos, após passar por inúmeras turbulências, conhecer o que é a dor da perda de mil maneiras diferentes, depois de muito mais que "7 tombos" - como no ditado - e de levantar após cada um deles, depois de planos jogados fora, amigos indo embora, paixões platônicas, lagrimas, sorrisos, festas, amigos chegando, amor e desamor, decepção e um coração com muitos band-aids eu gostaria de receber um sorriso, um simples sorriso, o meu sorriso, um sorriso que não terei. Me entristece toda vez que olho para o canto direito da tela e vejo a data e o horário, me entristece olhar para o celular, me entristece olhar para o chat do facebook e para todas as outras redes sociais possíveis. Me entristece a ligação não feita, me entristece a mensagem não recebida, me entristece a pequena discussão inútil pra saber quem seria o "primeiro" a me dar parabéns. Me entristece olhar pra trás e ver que em 19 longos anos quase todos se foram, e me entristece pensar que quem está chegando agora poderá ir embora um dia também. Me entristece pensar que a um ano atrás, eu tinha a certeza de tudo o que aconteceria em toda a minha vida e neste exato momento eu estar completamente cega tentando visualizar meu futuro. Tem tanta coisa faltando aqui... Tanta coisa não dita, tanta coisa não feita, tanta coisa jogada fora. Eu sei que poderia passar por cima delas se quisesse, mas hoje não dá. Eu não posso passar o dia que em anos me fizeram acreditar que era especial sem o meu sorriso, eu não posso ignorar a saudade, eu não posso ignorar o nó preso na garganta. Hoje não. Hoje a falta do "meu" sorriso me fará chorar todas as lagrimas ainda não derramadas.


"So young when the pain had begun .. Now forever afraid of being loved"



- O primeiro dos 19, Karyne Santiago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário