segunda-feira, 1 de julho de 2013

Você já percebeu como a vida é bela? Eu tenho quase certeza que não, mas para um pouco, por um instante e pensa em como tudo a sua volta é complexo, estranho, e assustador. Pensa na sua vida. Você veio ao mundo sem pedir, apareceu aqui de intrometido. Você passou por sorrisos, choros e machucados de tombos que levara na infância. Passou por uma pré adolescência com certeza nada fácil e que faz você se envergonhar de muitas coisas. Pela quantidade de hormônios no corpo provavelmente teve AQUELA briga com o pai ou com a mãe. Tenho certeza que passou pela fase rebelde "eu sei o que estou fazendo", "já sou dono do meu nariz", "eu te odeio"... Todo mundo passou pelo dia em que a mãe disse 'oi' e você quis matar ela porque estava supostamente "muito estressado" com uma paixonite aguda, uma prova de matemática super difícil, ou por não poder ir naquela festa no final de semana. Sei que provavelmente passou pela adolescência... Sabe? Aquela fase onde seu rosto vira um choquito por tantas espinhas, seu cabelo resolve ser o pior cabelo do mundo, você faz coisas bregas se achando um máximo, e seus amigos de escola decidem que vão fazer da tua vida um inferno. Você se apaixona, mas NUNCA é correspondido. Dai você sofre, e sofre mais um pouco e aquilo que sente parece ser a dor mais terrível do mundo. É como se você fosse morrer. Tudo parece dar errado. Dai você chega na fase dos 18 e... Espera um pouco, o que eu fiz da minha vida em 18 anos mesmo? NADA. Então você começa a se recriar, se reinventar, acordar pra vida, decidir que tipo de ser humano você quer ser. Começa a ver tudo com outros olhos. Quando você se estressou pela paixonite, pela prova ou pela festa perdida, foi tão inútil. Existem problemas maiores. E aquela dor que sentiu por uma paixão não correspondida? Na época foi terrível, claro que foi... Mas em toda aquela excentricidade da dor, em tudo aquilo que parecia tomar seu peito em uma dor praticamente física foi belo. Todos os tombos quando criança foram lindos. Cada lagrima que tu derrubou, seja por tristeza ou alegria foram lindas. Todos os amigos falsos que passaram pela sua vida, todas as mentiras que te contaram, todas as vezes que se chateou, todas as vezes que foi decepcionado, todas as viagens feitas, todos os passeios, todas as festas... todos os momentos bons ou ruins foram absurdamente lindos por serem aprendizados. Foram todos esses momentos que fez tu se tornar o que é hoje depois dos 18. Por maior que a tua dor tenha sido, foi lindo. A dor em si tem a sua beleza peculiar. Quando estamos com dor, física ou mental, mostramos a parte mais bonita da gente para o mundo. Mostramos que se sentimos aquilo é porque existe algo bom dentro de nós. Engana-se quem pensa que quem sente dor é fraco... Fraco é quem engole essa dor pra mostrar ser o que não é. A vida é linda, na alegria ou na tristeza, nas lagrimas ou nos sorrisos. Ela simplesmente é linda em todas as suas excentricidades. 

- A vida é bonita até na dor, Karyne Santiago.

infinitely | via Tumblr

Nenhum comentário:

Postar um comentário