sábado, 27 de julho de 2013

Esperar por um destino desconhecido não é fácil. Sempre gostei de ter controle sobre meu futuro, mas as coisas saíram do controle após uma ida. Cheguei a pensar que suportaria facilmente passar por essa fase, e falar que o que sentia nem era tão grande assim. Balela. Estou entrando em crise por não conseguir controlar os acontecimentos e os sentimentos. Tudo está mais louco que nunca. Existe uma tempestade dentro e fora de mim impossível de controlar. As coisas saíram do eixo e estão como um trem desgovernado passando por cima de tudo que restou de organizado. 
Minha vida está de cabeça pra baixo, passou um furacão por aqui e meu “país” não tem estrutura para reerguer tudo novamente. Meu emocional perdeu o controle, hora está estupidamente rindo de algo idiota, hora está chorando descontroladamente num quarto escuro e vazio. A bipolaridade tomou conta. 
E olha que eu sempre gostei de organização. Seguir cronogramas e fazer planos é parte de mim, parte essa que acabou de ser destruída por aquele trem desgovernado que lhe disse. 
Como seguir sem estrutura? Como montar alicerces sem base? Cadê o meu Super Homem pra parar esse trem antes que ele atropele o que restou da Lois Lane? Preciso do controle das coisas, preciso da organização e da segurança. Preciso ver meus planos reconstruídos e dando certo. O furacão fez muito estrago por aqui, chega né? Acho que não tem mais o que ser destruído, e mesmo se tiver, tenha piedade... Minhas estruturas estão abaladas o suficiente pra não conseguir ao menos se reerguer sozinha. 
Cadê o meu herói agora? Cadê meu Jack Dawson? Estou prestes a me lançar ao mar e preciso que alguém me pare antes que seja tarde demais. 

- Sem estruturas, Karyne Santiago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário