quarta-feira, 5 de junho de 2013

Sabe aquela coisa do "ser feliz em silencio é melhor"? Hoje eu tive provas concretas disso. Tenho que exercitar mais isso de ser feliz quieta, porque basta uma publicação inútil numa rede social que a pessoa não se aguenta de inveja e vem querer te atingir. Incrível! Isso porque diz que a vida tá ótima, imagina se não estivesse. Ridículo! Sinceramente... RIDÍCULO! Eu estou quieta, estou vivendo, aprendendo, curtindo as pessoas que estão comigo e me curtindo. Não me intrometo, não brigo, não reclamo... Indiretas? Só pelo twitter e olhe lá, as vezes só estou falando por falar ou como brincadeira, quem lê da risada, comenta, da RT ou simplesmente ignora, mas sei que a maioria nem lê, e nem sabe do que eu estou falando. A partir do momento que eu deixei de existir pra uma pessoa, apesar de me importar com ela eu não vou interferir. Está feliz? Ótimo, vai "você" e a sua felicidade pra longe de mim. Não está feliz? Sinto muito, mas infelizmente a gente colhe o que planta. Agora eu estar me sentindo bem, estar realizada comigo mesma, sentir meu coração acelerado novamente, e a pessoa vir tentar me atingir é outra historia. Como assim? Se eu deixo a pessoa ser feliz eu mereço ser feliz também. Ou será que depois de sofrer tudo o que eu sofri, surtar, me rebaixar e ser xingada na rua eu não mereço respirar com calma e ser feliz? Se tem um novo coração batendo acelerado por certo alguém, dane-se, não é mais problema meu, e se o coração desse alguém acelera por outro alguém, dane-se novamente... Eu só quero que meu coração possa acelerar por outra pessoa também, sem culpa, sem magoas, sem traumas. Eu só quero ser feliz também, será que isso é pedir demais? A felicidade das pessoas não me incomoda, porque a minha tem que incomodar as pessoas? 

- Seja feliz em silencio, Karyne Santiago.

Large

Nenhum comentário:

Postar um comentário