quinta-feira, 20 de junho de 2013

Coração acelerado, boca seca e olhos arregalados. Era assim que ela estava sentada no meio de sua enorme cama, enrolada no cobertor e segurando seus joelhos enquanto a respiração voltava ao normal. Havia tido mais um pesadelo com ele, depois de tantos dias, depois de noites tranquilas, aquele rosto voltara a atormentar os doces sonhos da pequena menina. Ela sussurrava baixinho pra si mesma "foi apenas um sonho. Só um sonho.", mas aquilo a feria. O pesadelo em si, não era ruim. Na verdade o sonho era bom, como de qualquer adolescente apaixonada por um menino. O que não era bom era o fato de que quando ela acordasse aquilo não fosse real. Era aquilo que a assombrava. Era ouvi-lo dizer que amava e em seguida soltar a mão dele no fim do sonho, era vê-lo partir aos prantos enquanto alguma coisa prendia seus pés no solo e a impedia de correr atrás dele. O coração acelerado era por conta da força tremenda que ela fazia para tentar correr, a boca seca era por conta dos gritos abafados que ela dava pedindo pra ele retornar. E os olhos arregalados, eram de medo. Medo por ter voltado bruscamente para aquela realidade triste. Para aquela realidade em que não adiantava gritar ou correr. A realidade que não existia amor. 
O pesadelo era ouvir ele dizer que a amava apesar de tudo, vê-lo querer ficar com ela, mas ter que partir, apenas no sonho. Na realidade nada disso existia... Isso era o que a feria, o que a magoava até ela cair para o lado ainda abraçada aos joelhos e dormir esperando não sonhar mais com ele, esperando que essa tortura não a fizesse mais sofrer. Pois tudo que ainda restava eram os seus lindos sonhos.

- Foi apenas um sonho, Karyne Santiago.



Nenhum comentário:

Postar um comentário