domingo, 2 de dezembro de 2012

Respondi as ofensas enviadas como flechas com um silêncio gritante que era e ainda é um pedido de socorro desesperado. Ontem prometi me amar, mas as forças tem me faltado quando se trata de ser feliz por ser eu e Deus contra o mundo. É como se me matassem aos poucos com as piadas maldosas e o fato de me maltratarem pois sou desconhecida ao seus olhos. Eu prometi a mim mesma usar palavras bonitas que demonstrassem a superação que tenho todos os dias apenas por levantar, mas não posso mostrar algo que não tenho. Eu tenho precisado de um sorriso amigo e frases como “Eu me importo!”. Quer dizer, eu sei que vocês se importam mas preciso de um lembrete as vezes. Pode até ser uma atitude, assim acho até mesmo melhor, mas preciso que mostrem que estão ao meu lado para os altos e baixos. Ontem de manhã acordei doente pois o tempo esfriou e tive que cuidar de mim mesma. Caramba! Como é ruim crescer e ver suas preocupações e responsabilidades crescerem juntas. Antigamente acho que eu diria frases clichês sobre meu antigo amor que de antigo não tem nada, mas resolvi esquecer e deixar para trás tudo aquilo que não convém. Ele não me acrescentava nada de uma dor terrível em meu coração, o amor que é bom só via em fotos. Acho que é isso que falta e que sempre reclamo por aí: Amor. É como se eu vivesse num desses filmes de colegial, onde algumas garotas malvadas mandam em tudo dentro de um prédio que mais parece uma prisão chamada escola, onde ninguém se importa com ninguém ao menos que seja obrigado a fazer o mesmo. E eu estou aprendendo a não me importar, a dar a outra face, mostrar que sou superior e inspirar a pessoa a ser melhor. Não quero dizer que sou superior, afinal, eu sou só eu; cheia de falhas e de pedaços de um coração quebrado precisando ser juntado. Tudo bem, Deus juntará meu coração assim como já fez inúmeras vezes. Eu fui maltratada, deixada de lado, fui solta numa selva onde sou o animal indefeso do jantar e mesmo assim me levantarei. Acredito em mudança, acredito no aumento do amor um pelo outro, acredito em perdão. Portanto, eu tenho o prazer de anunciar que eu os perdoo por todas as vezes que fizeram com que eu quisesse parar de respirarEu lhes perdoo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário